O estudo espectroscópico no óptico da galáxia luminosas no infravermelho com emissão de megamaser de hidroxila IRAS 15587+1609

Autores

  • Lara Maria Gatto Universidade Federal do Rio Grande
  • Dinalva Aires de Sales Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.47456/Cad.Astro.v2n1.32000

Palavras-chave:

Galáxia: interação, Galáxia: OHMG, Galáxia individual: IRAS 15587 1609, Espectroscopia

Resumo

A emissão do megamaser de OH (OHM) é uma característica importante, não muito explorada, de 20% das galáxias ultra-luminosas no infravermelho ([U]LIRGs). A presença dessa emissão pode ser um claro sinal não apenas de atividade nuclear térmica provinda de estrelas, mas também de uma energia não térmica provinda de um disco de gás circundando um buraco negro supermassivo (BNS). Galáxias que possuem a emissão de OHM (OHMGs) podem ser indicadoras do momento imediatamente antes da ativação do BNS. Entretanto, as OHMGs são pouco estudadas na literatura e este trabalho apresenta uma análise sobre a morfologia, classificação da fonte de ionização e a cinemática do gás ionizado da OHMG IRAS 15587+1609, usando dados espectroscópicos no óptico obtidos pelo telescópio Gemini Sul e imagem na banda i do telescópio Hubble. Foi possível inferir através dos dados espectroscópicos e fotométricos que a IRAS 15587+1609 é um sistema interatuante composto por dois núcleos, separados a uma distância de 0,2878 Mpc. Além disso, a detecção de linhas de absorção tênues de K(3956,79Å), H(3973,16Å), H∆(4104,57Å) e Hσ(4343,26Å) nos espectros dos dois núcleos indica que o sistema IRAS 15587+1609 pode ser composto por duas galáxias starburst.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dinalva Aires de Sales, Universidade Federal do Rio Grande

A pesquisadora concluiu a graduação em matemática pela Universidade do Vale do Paraíba (2005), mestrado em Física e Astronomia pela Universidade do Vale do Paraíba (2007) e doutorado em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Foi NASA Postdoctoral Fellow no Rochester Institute of Technology em 2012/2013. Foi pós-doutoranda da FAPERGS/CAPES na linha de fomento à bolsas Especiais Institucionais: DOCFIX, desenvolvendo o projeto na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 2013/2016. Tem experiência na área de Astrofísica, atuando principalmente nos seguintes temas: núcleo ativo de galáxia, galáxia em interação, moléculas complexas, espectroscopia e imagiamento. Atualmente é professora adjunta do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF) da Universidade Federal do Rio Grande (IMEF-FURG), compõe o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Física do IMEF-FURG. No ano de 2017 e 2018 foi Coordenadora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Física (PPG-Física) do IMEF-FURG e atualmente é coordenadora deste programa.

Downloads

Publicado

2021-01-31 — Atualizado em 2021-02-08

Versões

Como Citar

[1]
L. M. Gatto e D. Aires de Sales, “O estudo espectroscópico no óptico da galáxia luminosas no infravermelho com emissão de megamaser de hidroxila IRAS 15587+1609”, Cad. Astro., vol. 2, nº 1, p. 127, fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos