A poética de Mário Cesariny de Vasconcelos e o humor negro

Autores

  • Valci Vieira dos Santos Universidade do Estado da Bahia - Uneb/ Faculdade do Sul da Bahia - FASB

Resumo

RESUMO: O uso do humor, sob forma de expressão, ao longo da história, tem servido como arma de combate e denúncia nas mãos de escritores e poetas que se veem incomodados diante de adversidades e misérias sociais. Mário Cesariny de Vasconcelos, poeta português surrealista, é um desses poetas que não perdeu de vista os mais diferentes quadros sociais pintados com as cores da dor, do sofrimento e da repressão, e, por isso mesmo, faz acionar seu potencial crítico e destrutivo, através do riso, cuja arma giratória alcança as classes burguesa e operária, além de desferir golpes contra a ideologia política, a morte e o heroísmo. Para a elaboração deste trabalho, objetiva-se identificar a presença do humor na poesia do poeta luso, especialmente o humor negro, à luz dos estudos empreendidos por Lélia Maria Parreira Duarte, em sua obra “Ironia e humor na literatura” e nas reflexões de André Breton, em “Manifestos do surrealismo”.


PALAVRAS-CHAVE: Poesia portuguesa surrealista - Mário Cesariny de Vasconcelos. Mário Cesariny de Vasconcelos - Humor negro. Mário Cesariny de Vasconcelos – Surrealismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-11-09

Edição

Seção

Artigos (Dossiê)