Florescência textual e recursos sociais: notas sobre a Islândia medieval

Autores

  • Itamar Even-Zohar Universidade de Tel Aviv - TAU
  • Eduardo Luis Araújo de Oliveira Batista Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Resumo

RESUMO: A reconhecida dupla função dos produtos e atributos culturais, mais especificamente a instrumentalidade e a simbolicidade, que pode ser explícita em alguns casos, com frequência permanece encoberta em outros. Conceber carros ao mesmo tempo como veículos práticos e como sinais de status pode parecer um caso óbvio que dispensa explicações. Em contraste, textos, especialmente aqueles considerados como destituídos de alguma função prática, parecem um caso menos óbvio. A que propósitos práticos ou úteis podem servir os textos não práticos, e em que sentido e em que medida eles podem se tornar bens valiosos? Essas questões têm sido discutidas em diversas tradições acadêmicas de várias maneiras, mas por alguma razão a utilização de textos como um fator principal na criação de recursos e energia social ainda não se tornou um tema de maior prioridade na agenda de nenhuma das disciplinas relacionadas ao assunto. Neste artigo tentarei chamar atenção para a relação entre atividade textual e energia social em conexão principalmente com o surpreendente caso da Islândia medieval.


PALAVRAS-CHAVE: Pesquisa de cultura. Estudos nórdicos medievais. Dinâmica histórica e sócio-cultural da textualidade. Estudo comparativo da busca por recursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-11-09

Edição

Seção

Tradução