A PEDAGOGIA DOS MULTILETRAMENTOS E BNCC DE LÍNGUA PORTUGUESA

DIÁLOGOS ENTRE TEXTOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v14i29.31939

Palavras-chave:

Pedagogia dos multiletramentos., Base Nacional Comum Curricular, Componente de Língua Portuguesa

Resumo

Neste artigo, analisamos o estreito diálogo que existe entre o texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) de Língua Portuguesa do Ensino Médio (BRASIL, 2017) e o manifesto programático da pedagogia dos multiletramentos proposto pelo Grupo de Nova Londres (GNL, 1996). Para isso, faremos uma breve análise do surgimento dessa pedagogia em contextos internacionais e de como se deu a inserção dessa proposta pedagógica em contexto brasileiro, o que trouxe implicações para o componente Língua Portuguesa da BNCC. Por se tratar de uma pesquisa exploratório-descritiva, seguimos um percurso direcionado pelas abordagens didático-filosóficas da pedagogia dos multiletramentos no que se refere aos três eixos norteadores o “o que” (what), o “por que” (why) e o “como” (how). Em seguida, analisamos a relação do texto com os enunciados da BNCC que tratam dos campos de atuação, das práticas de linguagem e das habilidades. A partir desse estudo, vimos que o componente Língua Portuguesa do Ensino Médio dialoga com os princípios filosóficos e estruturais da pedagogia dos multiletramentos, de modo a trazer semelhanças lexicais, contextuais e metodológicas. Ao final do artigo, delineamos algumas reflexões sobre a ideia da colonização dos estudos sobre multiletramentos e como esta colonização pode influenciar um componente curricular no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Debora Liberato Arruda Hissa, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Doutora e mestra em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); especialista em Ensino de Língua Portuguesa e em Didática e Metodologia do Espanhol como Língua Estrangeira pela Universidad de Valéncia; graduada em Letras - Português/Espanhol pela UECE. É professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, do Mestrado Profissional em Letras, da Especialização em Ensino de Língua Portuguesa da UECE.

Nágila Sousa, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual do Ceará (UECE); especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela FALC e em Gestão Escolar pela Faculdade de Educação São Luís; graduada em Pedagogia e em Letras - Inglês pela UECE. É professora da rede estadual e atua como coordenadora escolar da EEM Joaquim Magalhães.

Referências

ASSIS-PETERSON, A.; SANTOS, D.; SOUZA, L. Perspectivas em movimento: concepções epistemológicas e metodológicas de professores de Inglês em Mato Grosso. Revista Ecos, Cárceres, v. 20, n. 1, p. 63-87, 2016.

BAKHTIN, M. (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2009 [1929].

BEVILAQUA, R. Novos estudos do letramento e multiletramentos: divergências e confluências. RevLet: Revista Virtual de Letras, v. 5, p. 99-114, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRASIL. Orientações curriculares para o Ensino Médio. v. 1, Brasília, DF: MEC/SEF, 2006.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 2002.

CARNEIRO, F. Mundos dados e mundos possíveis: o sentido do humano na Base Nacional Comum Curricular. In: COMPARTILHANDO: ENCONTRO DE PRÁTICAS SOCIOINTERACIONISTAS, 5, 2019, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Parole et Vie, 2019.

CEARA. Secretaria de Educação. Documento Curricular Referencial do Ceará: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Versão preliminar. Ceará, Fortaleza: SEDUC, 2019.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: New literacies, new learning. Pedagogies: An International Journal, Nanyang Walk, v. 4, n. 3, p. 164-195, 2009.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: Literacy Learning and the Design of Social Futures. London: Routledge, 2000.

FELICIO, R. Multiletramentos: inserindo a multiplicidade identitária dos alunos na escola. In: PINHEIRO, P. (Org.). Multiletramentos em teoria e prática: desafios para a escola de hoje. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2017. p. 187-214.

GARCIA, A.; LUKE, A.; SEGLEM R. Looking at the Next 20 Years of Multiliteracies: A Discussion with Allan Luke, Theory Into Practice, v. 57, p. 72-78, 2018.

GRUPO DE NOVA LONDRES. A pedagogy of multiliteracies: Designing social futures. Harvard Educational Review, Spring, v. 66, n. 1, 1996.

KLEIMAN, A. Agenda de pesquisa e ação em Linguística Aplicada: problematizações. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). Linguística Aplicada na modernidade recente: Festschrift para Antonieta Celani. 1. ed. São Paulo: Parábola, v. 1, 2013. p. 39-58.

MONTE MOR, W. Linguagem digital e interpretação: perspectivas epistemológicas. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 46, n. 1, p. 31-44, jan./jun. 2007.

PINHEIRO, P. Sobre o Manifesto “a Pedagogy of multiliteracies: designing social futures” – 20 anos depois. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 55, n. 2, p. 525-530, 2016.

ROJO, R.; MOITA LOPES, L. P. Linguagens, códigos e suas tecnologias. In: SEB/MEC (Org.). Orientações Curriculares do Ensino Médio. 1. ed. Brasília, MEC/SEB, 2004. p. 14-59.

TILIO, R. A Base Nacional Comum Curricular e o contexto brasileiro. In: GERHARDT, A. F. L. M.; AMORIN, M. A. (Orgs.). A BNCC e o ensino de línguas e literatura. Campinas: Pontes Editores, 2019. p.7-15.

Downloads

Publicado

2020-12-30