OS VERBOS BOTAR E COLOCAR NO FALAR DE FORTALEZA-CE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v14i29.31940

Palavras-chave:

Sociolinguística Variacionista, Falar de Fortaleza, Botar e colocar

Resumo

Com base na Sociolinguística variacionista (WEINREICH; LABOV; HERZOG 2006 [1968]; LABOV, 2008 [1972]), esta pesquisa aborda a variação no uso dos verbos botar e colocar, no sentido de introduzir um objeto/pessoa, pôr dentro, enfiar, meter, inserir, tomar e engolir, em amostra do falar popular de Fortaleza – CE. Nosso objetivo é analisar a atuação de fatores linguísticos e/ou extralinguísticos sobre a realização dos verbos botar e colocar. Para tanto, selecionamos 72 inquéritos do tipo Diálogo entre Informante e Documentador (DID) provenientes do Projeto Norma Oral do Português Popular de Fortaleza (NORPOFOR). Com o auxílio do programa de análises estatísticas GoldVarb X, estudamos um total de 846 ocorrências dos verbos em análise. Do número total de casos, o GoldVarb X mostrou que o verbo botar é usado com uma frequência maior (84%) que o verbo colocar (16%). Além disso, os resultados indicam que o fator cotidiano, da variável tópico discursivo, condiciona a realização do verbo botar em ocorrência com colocar. A partir desses resultados, concluímos que, na amostra desta pesquisa, os verbos botar e colocar são usados pelos informantes em maior ou menor proporção e são devidamente condicionados por uma variável externa ao sistema linguístico, isto é, pelo tópico discursivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aluiza Alves de Araújo, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Doutora e mestra em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC); graduada em Letras pela mesma instituição. É professora do Curso de Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Cassio Murilio Alves de Lavor, Universidade Estadual do Ceará (UECE) / Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC)

Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); licenciado em Letras pela mesma instituição. É professor da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC).

Maria Lidiane de Sousa Pereira, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual do Ceará (UECE); mestre em Linguística Aplicada pela UECE; graduada em Letras pela Universidade Regional do Cariri (URCA). Bolsista da CAPES. É professora do Curso de Graduação em Letras/Língua Portuguesa da URCA - Unidade Descentralizada de Missão Velha-CE.

Referências

ALKMIM, T. M. Sociolinguística. In: BENTES, A. C.; MUSSALIM, F. (Org.). Introdução à linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2011. p. 21-47.

ARAÚJO, A. A. As vogais médias pretônicas no falar popular de Fortaleza: uma abordagem variacionista. 2007. 152 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3597. Acesso em: 11 nov. 2019.

ARAÚJO, A. A. O projeto norma oral do português popular de Fortaleza - NORPOFOR. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUISTICA E FILOSOFIA, 15, 2011, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF. Anais..., v. 15, n. 5. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2011. p. 835-845. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xv_cnlf/tomo_1/72.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

ARAÚJO, A. A. O abaixamento da pretônica /o/ no falar popular de Fortaleza: uma abordagem variacionista. In: CONGRESSO NACIONAL DE LINGUISTICA E FILOSOFIA, 14, 2010, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF. Anais..., v. 14, n. 2, t. 2. Rio de Janeiro: Instituto de Letras da UERJ, 2010. p. 1203-1214. Disponível em: www.filologia.org.br/xiv_cnlf/tomo_2/1203-1214.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

ARAÚJO, A. A.; VIANA, R. B. M.; PEREIRA, M. L. S. O banco de dados NORPOFOR. In: ARAÚJO, A. A.; VIANA, R. B. M.; PEREIRA, M. L. S. (Orgs.). Fotografias Sociolinguísticas do falar de Fortaleza – CE. Fortaleza: Ed. UECE, 2018. p. 15-65.

BAGNO, M. A norma oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola, 2003.

BARRETO, K. H.; OLIVEIRA, N. F.; LACERDA, P. F. A. A variação dos verbos colocar e botar na modalidade oral. Via Litterae: Revista de Linguística e Teoria Literária, Anápolis, v. 4, n. 1, jan./jun., 2012. Disponível em: www.unucseh.ueg.br/vialitterae. Acesso em: 1 dez. 2013.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 38. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

BECHARA, E. Dicionário escolar da Academia Brasileira de Letras: língua portuguesa. 3 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2011.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em Língua Materna: a Sociolinguística em sala de aula. São Paulo: Parábola, 2004.

CARDOSO, S. A.; MOTA, J. A. Projeto Atlas linguístico do Brasil: Antecedentes e Estágio Atual. Alfa, São Paulo, v. 56, n. 3, p. 855-870, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/alfa/v56n3/a06v56n3.pdf. Acesso em: 2 jan. 2018.

CARMO, D. L.; ARAÚJO, A. A. Os verbos botar e colocar no falar culto de Fortaleza: uma fotografia Sociolinguística. Web-Revista Sociodialeto, Campo Grande, v. 6. n. 16, p. 282-297, jul. 2015. Disponível em: http://sociodialeto.com.br/edicoes/21/18112015102622.pdf. Acesso em: 19 fev. 2017.

COELHO, I. L.; GORSKI, E. M.; SOUZA, C. M. N.; MAY, G. H. Para conhecer Sociolinguística. São Paulo: Editora Contexto, 2015.

FARACO, C. A.; ZILLES, A. M. Para conhecer norma linguística. São Paulo: Editora Contexto, 2017.

FERREIRA, M. Aprender e praticar gramática. São Paulo, FTD, 2003.

FISHER, J. L. Social influences on the choice of linguistic variant. Word, New York, n. 14, p. 47-56, 1958. Disponível em: https://web.stanford.edu/~eckert/PDF/fischer1958.pdf. Acesso em: 14 maio 2019.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

FREITAG, Raquel Mister ko. Idade: uma variável sociolinguística complexa. Línguas e Letras, Santa Catarina, v. 6, n. 11, p.105-121. 2005. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/viewFile/875/740. Acesso em: 02 maio 2020.

GUY, G. R.; ZILLES, A M. Sociolinguística Quantitativa: instrumental de análise. São Paulo: Editoria Parábola, 2007.

LUCCHESI, D. Norma linguística e realidade social. In: BAGNO, M. (Org.). Linguística da Norma. 3. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012. p.57-81.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Trad. Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline R. Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008 [1972].

LAVOR, C. M. A.; ARAÚJO, A. A.; VIANA; R. B. M. Uma fotografia sociolinguística dos verbos botar, colocar e pôr em Alagoas, Ceará e Piauí a partir de dados do ALiB. Polifonia, Cuiabá, v. 25, n. 37.2, p. 171-310, jan./abril, 2018. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/viewFile/6111/pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

LOPES, E. Fundamentos da linguística contemporânea. 15. ed. São Paulo: Editora Cultrix, 1997.

LUFT, C. P. Minidicionário Luft. São Paulo: Editora Ática, 2006.

MARCUSCHI, L. A. Análise da Conversação. 2. ed. São Paulo: Ática, 1991.

MOLLICA, M. C. A relevância das variáveis não linguísticas. In: MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (Orgs.). Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2003. p. 27-31.

PINHEIRO, C. L. Estratégias textuais-interativas: a articulação tópica. Maceió: Edufal, 2005.

ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. 31. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1992.

SANKOFF, D.; TAGLIAMONT, S. A.; SMITH, E. Goldvarb X - A multivariatea nalysis application. Toronto: Department of Linguistics; Ottawa: Department of Mathematics, 2005. Disponível em: http://individual.utoronto.ca/tagliamonte/Goldvarb/GV_index.htm#ref. Acesso em: 10 jun. 2017.

SCHERRE, M. M. P. Introdução ao Pacote VARBRUL para microcomputadores. Brasília: UNB, 1993.

TARALLO, F. A pesquisa sociolinguística. 2. ed. São Paulo: Ática, 1985.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

XIMENES, S. Minidicionário da língua portuguesa. 2 ed. Reform. São Paulo: Ediouro, 2000.

Downloads

Publicado

2020-12-30