ANÁLISE TEMPORAL DE HERBIVORIA EM Laguncularia racemosa (L.) (COMBRETACEAE)

Autores

  • Geovana de Souza Chaves Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Mônica Maria Pereira Tognella Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Resumo

Os Manguezais colonizam as áreas de interface entre os ambientes continental e marinho, cujo tipo de vegetação arbóreo-arbustiva, comumente chamada de mangue, se desenvolve principalmente nos solos pouco consolidados dos rios tropicais e subtropicais ao longo da zona de influência das marés. Como todas as florestas, as folhas das espécies do ecossistema manguezal são fonte de alimento para os herbívoros, sendo a herbívoria definida como a quantidade de material foliar consumido pelos animais. O presente estudo teve como objetivo analisar por meio das mudanças da área foliar as influências dos fatores ambientais nos períodos de verão e outono a contribuição da espécie L. racemosa na herbivoria. Foram utilizados dados pretéritos de área foliar em papel milimetrado não analisados de coletas das folhas da espécie L. racemosa obtidas mensalmente entre os anos de 2008 e 2009, com N > 30. As coletas foram realizadas no manguezal do rio Itaúnas, localizado no município de Conceição da Barra, Espírito Santo. Para a estação de verão, correspondente aos meses de dezembro de 2008, janeiro e fevereiro de 2009, as folhas apresentaram maior área foliar (27,31 ± 13,44 cm2) e menor taxa de herbívoria (1,04 ± 1,44 cm2) do que os meses de março, abril e maio de 2010, referentes ao outono, sendo a área total equivalente a 19,6 ± 9,47cm2 e a área pastoreada a 5,52 ± 3,58cm2. A temperatura é um parâmetro vital para o desenvolvimento das plantas de Manguezais, e maiores superfícies de contato possibilitam maior dispersão de calor, o que pode explicar o fato das folhas coletadas entre dezembro e fevereiro se apresentarem maiores. Para a estação de outono, os resultados foram menores do que o esperado, já que as folhas tendem a ser maiores durante as estações mais frias, com o objetivo de aumentar a superfície de contato para obter o máximo de luz solar, assim mantendo a capacidade fotossintética da planta. Por fim, os fatores ambientais como quantidade de radiação e taxa de herbívoria são parâmetros determinantes para o crescimento e desenvolvimento foliar, ligados diretamente à sobrevivência da espécie. Além disso, a baixa taxa de herbívoria indica condições normais para o manguezal uma vez que sua maior contribuição em biomassa é para o nível de decompositores.

Palavras-chave: Manguezal. Pastejo. Sazonalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-24